Água Carioca: Constructed Wetland

Studio-X Rio
Nov 5, 2016 - Apr 30, 2017

(English)

Constructed Wetlands are natural systems with vegetation, which are artificially constructed and controlled for the treatment of water by natural microorganisms. In recent years, in collaboration with experts, the Ooze Architects have done some of these systems. One of them is the Água Carioca project that investigates the integration of a natural and decentralized sewage treatment system in urban areas in order to improve social and environmental conditions within neighborhoods away of public infrastructure.

The Água Carioca project includes the construction of septic tanks and water harvesting separate for each house. Thus the responsibility for maintaining the "system" becomes the responsibility of a single family, ensuring that it has awareness and knowledge of the process. The constructed wetland is shared with 3 to 10 houses to optimize the use of plants responsible for filtering. Its location is flexible according to the context and the available land around the house. Purified water is collected, stored and can be used for cleaning, garden watering and toilets. Like this, each constructed wetland forms a filtering cell, common to a group of individual houses. All the cells together form an urban filtration system - the community metabolism.

In 2014, this project resulted in an exhibition at Studio-X Rio, which demonstrated how the constructed wetlands can contribute to improve the water treatment in the city of Rio de Janeiro, especially in informal dwellings. It also questioned how it could be executed on a larger scale, covering the surroundings of the Guanabara Bay.

In 2016, a prototype of a constructed wetland was executed on Roberto Burle Marx grange demonstrating how the system can be built on a small scale. This exhibition at Studio-X Rio presents in detail the design and construction process of the pilot, as well as an interview where the Ooze ideas about the Água Carioca project are highlighted.

The prototype can be visited on schedule in Roberto Burle Marx grange where the 2014 exhibition was also reassembled.

(Português)

Constructed Wetlands (“filtro orgânico”) são sistemas naturais com vegetação, construídos e controlados artificialmente, para o tratamento de água através de microrganismos naturais. Nos anos recentes, em colaboração com especialistas, o escritório Ooze têm realizado algumas dessas infraestruturas. Um deles é o projeto Água Carioca que investiga a integração de um sistema de tratamento de esgoto natural e descentralizado em áreas urbanas a fim de melhorar social e ambientalmente as condições em vizinhanças distantes da infraestrutura pública.

O sistema do projeto Água Carioca prevê a construção de tanques sépticos e captação de água separados para cada habitação. Desse modo a responsabilidade pela manutenção desse “aparelho” passa a ser responsabilidade de uma única família, garantindo que a mesma tenha consciência e conhecimento do processo. O constructed wetland é compartilhado de 3 à 10 habitações para otimizar o uso das plantas responsáveis pela filtragem. Sua localização é flexível de acordo com o contexto e ao terreno disponível ao redor da casa. A água purificada é coletada, armazenada e pode ser reutilizado para a limpeza, rega de jardim e em vasos sanitários. Entendido desta forma, cada constructed wetland forma uma célula de filtragem comum à um grupo de casas individuais. Todas as células em conjunto formam um sistema de filtragem urbano - o metabolismo da comunidade.

Em 2014, esse projeto resultou em uma exposição no Studio-X Rio, que demonstrou como os constructed wetlands podem contribuir para melhorar a purificação de água na cidade do Rio de Janeiro, especificamente nos domicílios informais, além de questionar como o mesmo poderia ser executado em escala maior, cobrindo o entorno da Baía de Guanabara.

Em 2016, um protótipo de uma constructed wetland foi executado no Sítio Roberto Burle Marx demonstrando como o sistema pode ser construído na pequena escala. A presente exposição no Studio-X Rio apresenta em detalhes o projeto e o processo de construção do piloto, além de uma entrevista onde as ideias do Ooze sobre o projeto Água Carioca estão destacadas.

O protótipo pode ser visitado sob agendamento no Sítio Burle-Marx, onde a exposição de 2014 também foi remontada.